Infraestrutura

Informações técnicas

 


TPB (tonelagem de porte bruto) permitidas para o Terminal

- Comprimento máximo: 336 metros

- Largura máxima: 48,3 metros

- TPB máximo: 150.000

Observação: Os limites acima estão compatíveis com os limites máximos atuais do canal de acesso à Baía da Babitonga e dentro dos limites do Porto Itapoá. Tais dimensões atendem hoje os maiores navios de contêineres que operam na costa brasileira. Os testes para aumento desses parâmetros são desenvolvidos regularmente para ampliar a capacidade do canal de acesso ao Terminal.

 

Layout e expansão

Diante do crescimento das operações, e da própria demanda do mercado por terminais ágeis e eficientes, o Porto Itapoá está entrando em uma nova fase do projeto, que prevê a expansão física e operacional do empreendimento.

Hoje, o Terminal possui dois berços de atracação que somam um comprimento total de 630 metros por 43 metros de largura, e uma profundidade natural de 16 metros, que permite a atracação simultânea de dois navios Super Post Panamax.

O pátio possui uma área de cerca de 150 mil metros quadrados, sendo mais de 2.000m² de armazenagem seca e uma câmara fria para carga refrigerada. O scanner do Porto Itapoá é um dos mais modernos da América Latina, e verifica 100% das cargas de exportação. O Terminal possui ainda mais de 2.000 tomadas reefers para cargas refrigeradas, uma das principais demandas de exportação da região.

Com o projeto de ampliação, a fase final do Porto Itapoá terá três berços, somando um píer de 1.200 metros, e uma área de armazenamento de aproximadamente 2 milhões de TEUs, ou seja, quatro vezes maior que a área atual.

 

Reefer care

Itapoá está equipada com mais de duas mil tomadas reefers, que alimentam as cargas refrigeradas 24 horas por dia.

Os contêineres são submetidos ao monitoramento contínuo e a disponibilidade de tomadas somado aos custos competitivos para o cliente, têm sido um importante atrativo para que muitas empresas migrem suas operações de exportação reefer para o Terminal.

 

Gates

Seis gates trabalham 24 horas por dia, de forma dinâmica, com disponibilidade para trabalhar com duas pistas de entrada, duas de saída e duas reversíveis.

As informações do contêiner, caminhão e peso são coletadas automaticamente via OCR, economizando o tempo do transportador e minimizando erros.

O acesso biométrico de identificação do condutor agiliza ainda mais o processo e o torna mais seguro.

Nesta configuração, o tempo médio de espera no Gate do Porto Itapoá é um dos menores do continente.

 

Sistemas operacionais

O Porto Itapoá apresenta equipamentos de última geração, que resultam em ganhos de produtividade e também em segurança operacional.

Algumas das tecnologias que são empregadas em Itapoá são inéditas nas operações portuárias brasileiras, como o sistema operacional Navis Sparcs N4. Esta versão do Navis, dentre uma série de vantagens, permite o planejamento sincronizado de pátio e cais, sendo controlado em tempo real pelos operadores.

 

Características: 

- Pátio automatizado e alinhado com o planejamento do navio;

- Alocação dinâmica de caminhões para otimizar o fluxo e evitar congestionamentos de tráfego;

- Todas as atividades das cargas e dos equipamentos são registradas nos coletores disponibilizados para os colaboradores da operação;

- Painel automatizado e KPI’s, fornecendo controle de produtividade em tempo real.